Av. Nove de Julho, 3405 - Sala 415 

Edifício Mondial - Centro - Jundiaí/SP

juliana.k.kimura@gmail.com

Celular/What's App

(11)  95935-6015

  • Facebook Nutricionista Juliana Kimur
  • Instagram Nutricionista Juliana Kimu

© 2023 por Juliana Kimura

  • Juliana Kimura

Óleo de coco será mesmo veneno?

A verdade é que sempre tem um alimento que é endemonizado ou santuado pela mídia.

Já tivemos a vez do glúten, da lactose, do ovo, da tapioca. E agora, chegou a vez do Óleo de coco.

Temos que tomar cuidado com todas as notícias que vemos e ver como são feitos os estudos que são citados na matérias. Muitas vezes a pesquisa foi realizada numa população que nem sempre é parecida com a que você vive. Ou que tem os mesmos hábitos. A individualidade deve ser sempre respeitada.

Assim como o óleo de coco não é o milagre ele também não é um veneno. Mais uma vez, EQUILÍBRIO e MODERAÇÃO tem que haver SEMPRE. Com qualquer alimento, em qualquer época da vida, em qualquer situação da vidaaaa.

Trouxe aqui um pouco da opinião do Prof. Me. Renato Grimaldi, da FEA/UNICAMP a respeito da reportagem que tem circulado a respeito. Pedi autorização dele para compartilhar.




1) Usar o termo veneno foi um exagero. 2) É um óleo para fins culinários e jamais deverá ser usado como fonte única de lipídios. Medicamento jamais. 3) Nunca se esqueça que precisamos de ácidos graxos essenciais. 4) Seria melhor usar óleos extraídos a frio, mas não é viável economicamente. 5) Azeite de oliva é muito bom, desde que não seja adulterado, o que é comum no mercado nacional. 6) O óleo de coco contém quase 90% de saturados principalmente ácidos láurico e mirístico, conhecidos pelo alto poder hipercolesterolêmico. 7) Apesar de muita gente falar de fonte de TCM, os teores destes (C8 e C10) é muito baixo. Estes ácidos graxos são muito utilizados em em dietas enterrais como fonte de energia de rápida absorção e como veículo de vitaminas lipossolúveis. 8 ) Além disso, não tem praticamente nada de antioxidantes naturais. São termicamente estáveis mas sob altas temperaturas e em alguns produtos contendo enzimas são facilmente hidrolisados gerando problemas sensoriais como se fosse sabão. 9) Evitar fritura por imersão. É óbvio que quanto maior o grau de insaturação maior a quantidade de produtos indesejáveis formados, com efeitos deletérios para a saúde. 10) Dieta equilibrada e balanceada sempre é a melhor escolha. 11) Cigarro, álcool e estresse também matam. Nem todo o efeito deletério vem da alimentação.


Esclarecedor, não?


Obrigada, Professor!

2 visualizações